Podemos estar de acordo ou não com as políticas da NATO, mas que a cimeira que se está a realizar em Lisboa por estes dias traz visibilidade para o país isso não podemos negar nem muito menos menosprezar. Com a cimeira programada há já 7 anos, houve quem trabalhasse para aproveitar a oportunidade e promover uma imagem de marca de Portugal, que cada vez mais é sinónimo não só de tradição, mas também de modernidade e sofisticação. Falo da PELCOR que conseguiu que as prendas oferecidas aos chefes de estado que se deslocaram até nós fossem em cortiça.
Estamos a falar por exemplo de gravata oferecida aos chefes de estado, ou da mala também ela em cortiça que as chefes de estado vão receber.

Quem teve ainda direito a uma lembrança especial foi o presidente dos Estados Unidos que recebeu uma coleira para o seu cão (de raça portuguesa) também ela feita na nobre cortiça. A Hillary Clinton teve também direito a uma mala especial que se pode ver em baixo.

Aproveito para enviar os parabéns a toda a equipa da PELCOR, que apesar de estarem a promover os seus produtos não deixam de estar a elevar, mais uma vez, bem alto a nossa CORTIÇA. Em baixo podem ver a reportagem da RTP sobre os produtos:

5 Responses to Cimeira da Nato – Lisboa

  1. Quero agradecer em meu nome e da minha equipe Pelcor ao Ecological Cork pelo destaque das Prendas para a Cimeira da Nato, by Pelcor.
    Sem dúvida foi um passo gigante..mas resultado de muito trabalho, perseverança e querer tornar o nosso sonho realidade…Tornar a Cortiça Moda…Agora já está nas mãos dos Chefes de Estado do Mundo e principalmente nas mãos das pessoas mais influentes do Mundo, Barack Obama, Hillary Clinton e Angela Merkel.
    Resta dizer que o Governo não teve qualquer custo com estas prendas, sendo elas tudo investimento Pelcor, o que nos orgulha ainda mais:-))
    Obrigada Ecological Cork e Portugal e a nossa Cortiça nas bocas do Mundo:-))

    • admin diz:

      Na minha opinião o “investimento com as prendas” deveria ter sido institucional. O Intercork deveria ter pensado nisto, seria até uma oportunidade para estrear a tal “passadeira vermelha” em cortiça.
      Assim ficam os louros para quem lutou por eles…

  2. Margarida diz:

    Reconheço a qualidade e a distinção da generalidade das peças produzidas pela Pelcor. Creio reunirem as características que as tornam a oferta perfeita para qualquer evento destes: representam a nossa cortiça e a sua infindável capacidade de dar corpo à nossa imaginação; materializam o paradigma de desenvolvimento sutentável; são funcionais e apelativas…
    Mas ESTAS peças?! Ninguém notou que se estava a aplicar uma matéria-prima deste calibre numa peça que nunca ninguém vai usar?! (refiro-me, claro à gravata)
    Ninguém notou sequer como fica estranho o conjunto gravata e coleira em cortça?!
    Não poderiam ter idealizado um conjunto distinto pra escritório – algo que todos colocariam nas suas secretárias e potenciaria a curiosidade dos que passassem? Ou as belíssimas peças que a Pelcor tem à venda no MoMA? Ficassem pelo guarda-chuva!…
    Fiquei verdadeiramente desapontada. Usar uma exposição mediática destas para mostrar um dos nossos orgulhos – a cortiça – aplicada a objectos kitsch…
    Enfim…

    • admin diz:

      Respeito a sua opinião, mas pessoalmente achei a ideia da coleira muito bem conseguida. Estamos a falar de uma coleira para um cão de raça portuguesa e por isso fazerem-lhe uma coleira em cortiça considero muito bem pensado.
      Quer a coleira, quer as malas das chefes de estado (e da Hillary) penso que é perfeitamente possível virem a ser utilizadas. E tal como disse o Obama “o cão é mais popular do que ele” :):)…

      • Margarida diz:

        Pois… eu sei que o cão é famoso.
        A questão é se nós queremos chegar ao cão ou aos decisores deste mundo…

Responder a Sandra Correia Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Real Cork. Real Wine.

Clique nas imagens e partilhe-as:

say yes to cork