banner2

Mesmo depois dos apoios (financeiros) prometidos pelo Governo, as empresas do sector (nomeadamente o “sub-sector rolheiro”) continuam a passar por enormes dificuldades. Com notícias diárias de despedimentos, ordenados em atraso, empresas a fechar e outras a entrarem em “Lay-Off”, começam a surgir vozes que se questionam onde estão os resultados dos apoios directos ao financiamento das empresas anunciados à meses pelo Governo.Quanto a mim não é importante a discussão (para esta conversa) se as medidas não passavam de mera “propaganda” ou se apesar de serem medidas efectivas foram mal aplicadas e os fundos mal distribuídos. O importante, infelizmente, é que as empresas continuam “nas ruas da amargura” e com elas todo este sector. É pois altura de reivindicarmos que se tomem medidas concretas, ACÇÕES simples e objectivas, mas que possam ajudar à defesa deste sector tão importante (quer do ponto de vista ambiental, quer económico).
Há 2 meses lancei, com o apoio e sugestões dados aqui no site, a petição “VINHO COM INFORMAÇÃO É OPÇÃO”. Durante este tempo e com o apoio de muitos de vocês na sua divulgação conseguimos reunir mais de 4.800 assinaturas. É um número significativo, principalmente se tivermos em conta que esta foi (e continua a ser) uma campanha sem o apoio formal de qualquer entidade ou empresa (excepto alguma divulgação em sites como o da Quercus, Apcor, etc.).
Durante estes 2 meses além das assinaturas reunidas conseguimos pelo menos agitar as águas e promover a discussão deste assunto em alguns locais de interesse, nomeadamente na web, dos quais a título de exemplo dou a “discussão” que teve lugar no Fórum Online da portuguesa “Revista de Vinhos” (http://forum.revistadevinhos.iol.pt/viewtopic.php?f=2&t=523).

Chegou agora a altura da fase seguinte, pegar nas (quase) 5.000 assinaturas e reivindicar junto dos destinatários o que a petição pede, ou seja, que passe a constar nos rótulos e/ou contra-rótulos o tipo de vedante utilizado nos vinhos.
Um dos destinatários da petição é a Assembleia da República, e para esse não é necessário mais do que enviar a petição e esperar que a mesma seja apreciada e discutida. Quanto aos outros destinatários (engarrafadores, produtores de vinho, canais de venda/distribuição, etc.) e enquanto esperamos (e desesperamos) por medidas legislativas, podemos tentar exercer pressão junto deles para que percebam a importância dessa informação e a passem a divulgar de forma voluntária.

Para este importante “jogo” de pressão peço a vossa ajuda. Avancem com ideias das melhores formas de fazer chegar estas assinaturas a quem de direito. Por exemplo, se o director de compras ou marketing do Pingo Doce é “primo, do tio, do vizinho, do professor, do vosso filho” é chegada a altura de fazerem uso desse contacto para juntos fazermos chegar as assinaturas ao alvo certo. Certamente que a petição terá muito mais impacto se entregue directamente a alguém com competência no assunto do que se enviada para o endereço global de uma empresa, correndo o risco de se perder pelos “corredores”… As ideias e contactos que vos surjam enviem-nas em forma de comentário aqui no blogue, por email para admin(ARROBA)ecologicalcork(PONTO)com ou ainda através do formulário de contacto deste site. Esta é uma medida simples, mas muito objectiva e que com a ajuda de todos podemos colocar em funcionamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Real Cork. Real Wine.

Clique nas imagens e partilhe-as:

say yes to cork