cork_colors4Começo por apresentar o símbolo criado pela C.E.Liège há já alguns anos com a finalidade de identificar todos os produtos feitos de cortiça, ou que pelo menos 51% do seu peso seja de cortiça.
Este símbolo pode (ou poderia como vão perceber à frente) servir para identificar quais os vinhos que utilizam rolha de cortiça como vedante, tal como estamos a pedir na nossa Petição. De facto essa é uma das utilizações possíveis, e que está já em uso (embora muito reduzido). Aqui em Portugal a única marca de vinhos que conheço que está a utilizar esta “marca da cortiça” é a Ervideira, que se não os utiliza em todos pelo menos na maioria dos vinhos comercializados está presente no contra-rótulo da garrafa (ver exemplo na figura em baixo).
Mas porque é que esta marca não é já usada pelos produtores de vinho como forma de diferenciação positiva dos seus vinhos? Porque é que, em minha opinião, não temos legitimidade para pedir/exigir a esses mesmos produtores que utilizem esta marca, que se quer universal/internacional?
Pois bem, a resposta pode estar nas condições de utilização da mesma, nomeadamente no seu preçário. Posso até concordar que a utilização desta marca em alguns produtos possa/deva ser sujeita a um pagamento de licença de utilização (nomeadamente em produtos que tenham a ganhar em utilizar a imagem da cortiça para se promover), mas no que aos vinhos diz respeito penso que se passe o contrário.
A Indústria da Cortiça teria a ganhar se os produtores de vinho indicassem que utilizam a cortiça, para que dessa forma os consumidores pudessem ser induzidos (nomeadamente pelas campanhas de promoção e divulgação da cortiça) a boicotar os vedantes alternativos. Obviamente que isto não acontecerá a 100% “da noite para o dia” mas penso que ao cobrar pela utilização da marca que “criamos” podemos estar a dar sinais que vão contra o que desejamos.

Este problema poderia ser contornado de diversas formas, e deixo-vos a seguir algumas ideias:
-Estipulando no regulamento de utilização da “Cork Mark” diversas situações em que a utilização deste símbolo fosse gratuita (nas situações que fosse considerado ter vantagens para o sector em geral).
-A C.E.Liège poderia alterar os regulamentos de forma a que, por exemplo os fabricantes/fornecedores de rolhas quando na posse do direito de utilização da “Cork Mark” pudessem oferecer essa utilização aos produtores de vinho sempre que estes estivesem a utilizar as suas rolhas. Esta alteração serviria para melhorar o relação cliente/fornecedor, pois estes fornecedores de rolhas teriam algo para “oferecer” aos engarrafadores para estes diferenciarem o seu vinho, indo de encontro a que os consumidores querem.
-Outra forma poderia passar pela criação de um novo símbolo de identificação, este destinado apenas ao produto ROLHAS. Este símbolo poderia ter utilização livre por parte dos engarrafadores e poderia ir até mais longe ao ter algumas variantes para diferenciar se estaríamos perante uma rolha 100% natural ou por exemplo de uma “rolha técnica”.

Não nos podemos esquecer que se houver alguma regulamentação legislativa que venha no futuro a obrigar a identificação do tipo de vedante, essa identificação não passará obviamente por um símbolo que implique um pagamento de direitos de utilização.
Estas são apenas algumas divagações pessoais, e têm como objectivo fomentar a discussão sobre o tema. Por isso fico à espera das vossas opiniões e comentários.
E já sabem, não deixem de assinar e divulgar a nossa petição (http://www.peticao.ecologicalcork.com) que já conta com mais de 3500 assinaturas.

ervideira_cork_mark

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Real Cork. Real Wine.

Clique nas imagens e partilhe-as:

say yes to cork