logotipoUm consórcio entre 4 organizações (Dyn’Aero Ibérica, a Corticeira Amorim através da Amorim Cork Composites, o PIEP – Pólo de Inovação em Engenharia de Polímeros da Universidade do Minho e a ActiveSpace Technologies) vai investir 1,2 milhões de euros (50% financiado pelo QREN) no projecto Aerocork.
Neste projecto vão ser produzidos, testados e certificados diversos compósitos de cortiça com a finalidade de substituir materiais sintéticos num avião ultraleve. Os primeiros voos deste avião ecológico estão previstos para o 2º semestre de 2010.
Os compósitos de cortiça apresentam-se como uma das alternativas mais promissoras aos materiais sintéticos para a construção de painéis “sandwich”, fundamentais para a integridade estrutural da aeronave. Além das suas características estruturais únicas, a cortiça possui inegáveis vantagens ambientais – é um material sustentável, ecológico, natural e reciclável -, esperando-se uma diminuição do impacto ambiental da indústria aeronáutica.
Este consórcio conta com diversos tipos de experiências nas suas organizações. Desde logo a Dyn’Aero é uma empresa de construção de ultraleves com fábrica em Ponte de Sôr (onde já é produzido o avião MCR que servirá de base para este protótipo), passando pela Corticeira Amorim que é lider mundial no sector da cortiça e conta já com conhecimento na área dos aglomerados de cortiça aplicados à aeronáutica. O pólo da UM vai efectuar estudos do comportamento mecânico dos aglomerados enquanto a ActiveSpace Technologies será responsável pela avaliação estrutural e térmica dos componentes em desenvolvimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Real Cork. Real Wine.

Clique nas imagens e partilhe-as:

say yes to cork