Escolhedoras

Depois das razões ambientais e das razões objectivas de benefícios para os vinhos, chegou a altura de apresentar mais um conjunto de razões para defendermos a utilização da cortiça:

Razões económico-sociais

Este é um sector que em Portugal tem um peso bastante elevado do ponto de vista económico e social. Por si só representa 2,3% das exportações nacionais, e não nos podemos esquecer que estamos perante um sector que do ponto de vista das importações quase não tem significado. Ou seja, em termos de balança comercial (exportações vs importações) o sector da cortiça tem um peso positivo muito superior a outros sectores que apesar de percentualmente exportarem mais, têm o reverso da medalha que é o de terem de importar (quer tecnologia, quer matérias-primas).
Do ponto de vista social este é também um sector muito importante, calculando-se que actualmente empregue de forma directa e permanente cerca de 12.000 trabalhadores. A estes trabalhadores podemos acrescentar a mão de obra sazonal, gerada na altura da tiradia e que representa muitas das vezes um bom “fundo de maneio” para os trabalhadores rurais dessas zonas. Os próprios montados, e as actividades a ele ligadas (caça, turismo, pecuária, etc) são um exemplo de exploração florestal sustentável, visto que contribuem para a fixação de populações em regiões de clima hostil e geograficamente afastadas dos centros urbanos.

Em alturas como as que atravessamos, de crise, os engarrafadores ao optarem pela cortiça estão a contribuir para a manutenção de postos de trabalho, já que este sector emprega muito mais populações do que a produção dos vedantes alternativos. A campanha destinada ao consumidor final que diz “Compro o que é nosso” acho que também deveria estar no subconsciente dos engarrafadores nacionais. Esses têm de ter a noção que ao optarem pela cortiça estão a contribuir para a manutenção de postos de trabalho em Portugal e por isso de forma indirecta contribuem para que o mercado (os seus potenciais clientes) continue a funcionar.Compronosso

One Response to Razões para uma escolha lógica (4)

  1. admin diz:

    Importação dos comentários do site antigo:
    Nuno disse:
    E porque não extravasar o nosso pequeno rectângulo e, apoiados em acções de lobbying, europeizar o slogan com algo do género: “Buy our own products. Made in EU”.
    Afinal, a Europa, que se diz comunitária e de espaço único, deverá assumir, de uma vez por todas, que dentro da sua área de influência político-administrativa actuam os maiores players mundiais na produção e transformação da cortiça. Tanto mais, que a verdadeira ameaça a este produto (os screwcaps e os BIB’s) se encontram sediados (por agora) fora do espaço EU.
    Eu respondi:
    Estou quase a 100% de acordo consigo. Quando me refiro a PT apenas o faço porque acredito que a nossa audiência esteja 90% aqui. No entanto também acho que muitas das vezes perdemo-nos ao tentar fazer sempre tudo muito à frente. Se nem dentro do nosso “pequeno rectângulo” temos conseguido o que queremos, será legitimo pedir aos outros que o façam? Se conseguirmos que cá dentro os consumidores “exijam” rolhas de cortiça, e mais do que isso que exijam ter informação do tipo de vedante utilizado, se calhar depois será mais fácil extravasar para a UE.
    Nuno respondeu:
    OK, Palavras não chegam. Juntem-se as vontades, reúna-se uma “task force” entre instituições do sector e vamos lá falar com IVV’s, IVDP’s, CVR’s e outros que tais. Afinal, foi essa a abordagem dos “nuestros hermanos” (veja-se o caso da Rioja). Pode não resultar em nada, mas se nada fizermos nunca o saberemos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Real Cork. Real Wine.

Clique nas imagens e partilhe-as:

say yes to cork