Em nome da “utilidade pública” estão a ser abatidos mais de 1300 sobreiros em Setúbal. Esta“utilidade pública” foi decretada em Dezembro de 2001 autorizando através de despacho dos ministros do ambiente e da agricultura (José Sócrates e Capoulas Santos) uma urbanização (Nova Setúbal) com 7500 fogos, 1 Centro Comercial e um Complexo Desportivo (onde ficará o futuro estádio do Setúbal).

Pelo que dizem as noticias depois de no dia 9-2-2009 a Quercus ter interposto uma providência Cautelar junto dos tribunais, ontem (11-2-2009) a promotora imobiliária Pluripar começou o abate dos sobreiros perante o olhar incrédulo dos dirigentes da Quercus e a presença de elementos da GNR. Depois de almoço o abate viria a ser interrompido por ordem de um juiz, no entanto já um número significativo de sobreiros teriam sido abatidos.

Eu como cidadão deste país acho incrível que se declare de “imprescindível utilidade pública” uma urbanização particular sem que pelo menos se avaliem os impactos ambientais da mesma. Num país em que se diz que o Sobreiro é uma árvore protegida este é sem dúvida mais um atropelo a essa protecção, e desta vez com o aval dos nossos políticos.

Sobreiro Cortado

One Response to Andam a destruir os nossos sobreiros

  1. admin diz:

    Importação de comentários do site antigo:
    QuercusSuber disse:
    Se na Arábia Saudita alguém se lembrasse de tapar um poço de petróleo para construir uma urbanização…dava para rir, infelizmente no nosso país este tipo de práticas leva o aval do estado, numa óbvia tramoia entre o poder político e os interesses privados…haja vergonha!
    Alhos Vedros respondeu:
    Contam-se pelos dedos de uma mão os ministros com vergonha.

    Eu disse:
    Segundo o gabinete do Ministro da Agricultura “já foi cumprido o plano de compensação pelo abate de cerca de 1300 sobreiros, que exigia a plantação de mais de 20.800 árvores do mesmo tipo na Quinta do Vidigal, em Vendas Novas.” Isto segundo a TSF ( http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=1143867 )
    Nuno respondeu:
    Bela compensação! Em 4 ou 5 anos estará a Pluripar a tirar proveito das centenas de habitações de luxo, complexo comercial e afins. Quanto ao plantio na Quinta do Vidigal, esperemos 40 anos e tal vez vejamos compensado o derrube de árvores de porte adulto e frondoso, como aquele a que assistimos na reportagem da SIC.

Responder a admin Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Real Cork. Real Wine.

Clique nas imagens e partilhe-as:

say yes to cork